Ervas e especiarias

Ervas e especiarias

Ervas e especiarias

As ervas e especiarias, além de darem um aroma diferenciado às preparações, podem ser valiosos aliados da saúde. Quando utilizamos temperos para dar sabor aos alimentos, a necessidade de utilizar sal e óleos para temperar diminui, contribuindo para a saúde. Segundo a OMS, o consumo de sal diário deve ser no máximo de 5 gramas ao dia por pessoa, o brasileiro consome, habitualmente, 12 gramas de sal ao dia. Na presença de pessoas com hipertensão arterial, utilizar ervas aromáticas e outras especiarias é extremamente importante.

Em preparações doces, algumas especiarias podem ser utilizadas. Como promovem um sabor e aroma diferenciado, a necessidade de adicionar açúcar também diminui. Essa técnica pode auxiliar pessoas com diabetes, ou em dietas de emagrecimento, que gostem de doces e precisam diminuir seu consumo.

Para conservar melhor, os temperos devem ser guardados, preferencialmente, em vidros ou potes de plástico, bem fechados dentro do armário (a luz do sol faz com que eles percam suas propriedades mais rapidamente), podendo durar de seis meses a um ano. Temperos frescos podem ser conservados por até uma semana na geladeira, acondicionados em sacos de papel ou recipientes de plástico forrados com papel-toalha.

É interessante não fazer grandes estoques, mas sim adquirir pequena quantidade numa frequência maior. Para quem optar por utilizar temperos secos a frescos, lembre-se de que a quantidade a ser utilizada deve ser inferior, pois, nos secos, sabor e aroma estão concentrados.

Temperos como pimenta-do-reino, noz-moscada, cravo, entre outros, devem ser ralados no momento do uso, para que o sabor fique acentuado. Os temperos frescos devem ser adicionados ao final do preparo, pois, quando cozidos, perdem sabor.

A seguir, alguns exemplos de ervas e especiarias e sua harmonização com as preparações.

A canela é a especiaria obtida da parte interna da casca do tronco. É muito utilizada na culinária como condimento e aromatizante na preparação de certos tipos de chocolates e licores, em doces à base de leite e chás. Também pode ser utilizada como tempero para carnes assadas, na marinada.Propriedades medicinais: ameniza sintomas da menopausa e ajuda no controle da pressão arterial.

O alho-poró é um vegetal da mesma família das cebolas e alhos. Possui sabor mais suave que a cebola. É bastante utilizado na culinária, principalmente em risotos, omeletes e suflês. Suas folhas podem ser usadas como base de caldos e sopas. Ao comprar alho-poró, prefira os mais finos, que são mais macios, e escolha os que têm a mesma proporção de parte verde e branca. Elimine as folhas externas, que são mais duras e podem comprometer as preparações.

A salsinha é bastante utilizada no Brasil, como condimento ou para decorar pratos. São encontradas três variedades: as lisas (mais cultivadas no Brasil), crespas e muito crespas. Harmoniza bem com peixes, carnes, aves, molhos de ervas e leguminosas, como o feijão e a lentilha.Propriedades medicinais: auxilia no tratamento de cálculos e cólicas renais, favorece o equilíbrio hormonal e alivia os sintomas da bronquite, asma, de cólicas menstruais e cistite.

O manjericão pode ser encontrado de dois tipos: o de folhas largas e o de folhas pequenas. O de folhas largas é bastante utilizado na confecção do molho pesto. Harmoniza bem com molhos de tomate, assados de carne, porco, hambúrgueres, carne de pato, carneiro, batata e omeletes.Propriedades medicinais: atua como sedativo, auxilia no tratamento de febre e infecções bacterianas.

Acesse a seção "O chef" e encontre receitas com esses ingredientes.

Ariela Issa

UTI das Ideias - Soluções Corporativas em Web e Design